Matosinhos, em Portugal, torna-se pioneira em redução de desastres naturais

A cidade de Matosinhos, no norte de Portugal, acaba de ser reconhecida pelas Nações Unidas por suas estratégias pioneiras para reduzir incêndios florestais.

O anúncio ocorreu, na segunda-feira, durante um encontro do Escritório da ONU para Redução do Risco de Desastres, em Bali, na Indonésia.

Inspiração



Habitante da cidade de Matosinhos, norte de Portugal.

No evento, a província de Potenza, na Itália, recebeu o título de “Centro da Resiliência na Europa”. A representante especial do secretário-geral da ONU para Redução de Riscos de Desastre, Mami Mizutori, disse que “os esforços de Matosinhos e de Potezan são uma inspiração.”

Para ela, “líderes ao redor do mundo deveriam repensar a maneira como previnem e gerenciam desastres e precisam reconhecer que reduzir riscos é um investimento, não um custo”.

A prefeita de Matosinhos, Luisa Salgueiro, declarou que acredita no “poder do apoio positivo e na valorização da prevenção, da autoproteção e da resiliência da população.”

Segundo a ONU, Matosinhos é a primeira cidade em Portugal a receber o título de Centro de Resiliência na Europa e o reconhecimento surge pelas várias iniciativas locais para minimizar a gravidade de desastres naturais.

Redução de incêndios florestais



Estratégia para redução de incêndios envolve campanhas com a comunidade.

A estratégia de 10 anos “Zero Incêndios”, por exemplo, já vem dando resultados: Matosinhos registrou 24 incêndios florestais ano passado, na comparação com 108 casos em 2015.

A cidade portuguesa também realizou mais de 3 mil campanhas de conscientização com as comunidades entre 2009 e 2019. No ano passado, o governo local lançou a iniciativa Matosinhos Casa Segura, onde as pessoas podem aprender, por meio de simulações, riscos de incêndio que surgem com a rotina.

O município também está na fase inicial de colaboração e troca de experiências com cidades no Brasil e também com Díli, capital do Timor-Leste.

Terremotos na Itália


A ONU reconheceu ainda os esforços da província de Potenza, que cobre 100 municípios no sul da Itália, e criou uma rede de coordenação de redução de risco de desastres.

Potenza investiu em campanhas de conscientização pública e em infraestrutura regional, de maneira que o planejamento urbano seja orientado de forma a evitar riscos associados a terremotos.

A região foi uma das afetadas pelo sismo Irpinia, de magnitude 6.6, ocorrido em 1980, impactando 15 mil habitantes.

Os projetos que envolvem segurança territorial e todo o know-how da região italiana podem ser aplicados em outras comunidades ao redor do mundo.

Fonte: https://news.un.org/pt/story/2022/05/1790122


 


1 visualização0 comentário